20 de dez de 2010



Aleitamento Materno

Hoje em dia muitas atrizes se dispõe a falar desse assunto tão presente na vida de todo mundo e cercado de mitos e tabus. No Brasil, o desmame precoce ainda é um desafio para profissionais, onde a média de amamentação é de 2,4 meses, sendo que o ideal é o aleitamento exclusivo, ou seja, aquele em que é somente necessário o leite da mãe sem a adição de nenhum outro tipo de alimento, nem mesmo água, é de 6 meses. Com a amamentação adequada, estima-se que 6 milhões de mortes de menores de um ano de idade poderiam ser evitadas.
O leite materno promove bebês mais saudáveis

e bem nutridos, pois é através dele que a mãe consegue passar todos os seus anticorpos, além de vitaminas, minerais, gorduras, açúcares, proteínas, entre outros necessários ao bebê. Abaixo, algumas vantagens para a mãe e o bebê da amamentação.

Para o bebê

  • O leite materno possui substâncias nutritivas de defesa, que não se encontram no leite de vaca e em nenhum outro leite;
  • De fácil digestão, por ser especialmente para o bebê;
  • Está pronto a qualquer hora e na temperatura certa;
  • Baixo custo;
  • Proximidade com a mãe;
  • Evita diarreias, pneumonias, infecções de ouvido, alergias, entre outras;
  • Melhor crescimento para os bebẽs;

  • Previne problemas dentários;
  • É completo, portanto não e necessário nem mesmo a oferta de água (na amamentação exclusiva, até seis meses).
Para os pais
  • Aumenta laços afetivos;
  • Previne gravidez (quando feita a amamentação exclusiva, até seis meses);
  • Diminui o sangramento da mãe após o parto;
  • Diminui chances de câncer de mamas e ovário.
Mitos e Tabus

  • Não existe leite fraco;
  • Amamentar não faz os peitos caírem;
  • Criança chorando nem sempre é fome (verificar se não é cólica ou outros).







Concluindo... Muitas vezes o que falta para a mãe não é vontade de amamentar, mas sim informação, repasse para mães e pais a sua volta da importância da amamentação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário